domingo, 3 de agosto de 2008

Diário de Africa "minha" - Parte 2 - Luanda - Lobito

Depois de 4 horas de alguns pesadelos e muitas preocupações com picadas de mosquitos acordei para a viagem que me iria levar para o Lobito, o 1º destino do meu trabalho. Às 6h.30h partimos de carro e 8 horas de viagem se seguiriam. De entre estradas perigosas embora em bom estado e condução a 160km/hora, vi paisagens lindíssimas e marcantes, as típicas arvores da savana, os catos, palmeiras, toda a vegetação particular de Africa, de forma tão rica…nunca tinha visto nada igual. Já tinha ido a cabo verde mas pouca vegetação havia, aqui é por demais, ainda em tempo seco (Inverno) há muita vegetação. Claro que a paisagem natural é rapidamente rasgada pelas pequenas aldeias inóspitas e incolores onde vivem milhares de africanos em condições sub-humanas. As habitações são feitas de cimento feito da areia vermelha tão característica deste lugar ou de betão cinza. São quatro paredes cobertas com um tecto de lâminas de alumínio seguras por pedragulhos. É uma imagem surreal, triste!!!

Durante todo o percurso somos abordados com pessoas à beira da estrada a segurar galinhas acima das suas cabeças, para que os condutores as possam ver e parar a tempo de as comprar; ou crianças com peixes na mão, a vender fruta, carvão, doces. Vêem-se muitas crianças e mulheres nas estradas a tentar comercializar o que podem. Não se vê ninguém a parar…

Depois de 300km e de 3horas e meia de enjoo parámos no Sumbe, uma cidade pobre como a maioria, e à beira mar. Aí parámos para reabastecer o depósito e para almoçar num restaurante muito simpático na praia. Comemos garoupa grelhada. O dia estava enublado, muito húmido como é normal sentirmos, para os angolanos é um período frio e seco. Com temperaturas a rondar os 22-25 graus, é ainda assim difícil respirar fundo.

Prosseguindo em viagem pudemos ver outro tipo de aldeias, aldeias segundo os conhecedores, típicas africanas, em que as casas são feitas de paus, areia e pedra e de vegetação…não fiquei a saber concretamente se a vegetação tornava a casa impermeável às chuvas, mas calculo que não. As pessoas, sobretudo crianças e mulheres estão sentadas, quase inertes, sem grande actividade…

Embora se vejam muitas crianças nas ruas, muitas mesmo, é raro verem-se idosos, talvez a pessoa mais velha que tenha visto, me tivesse parecido ter 50/60 anos. Depois de algumas perguntas e respostas fiquei a conhecer a esperança média de vida dos angolanos, apenas 40 anos. Tudo se explicou rapidamente.

Entrámos finalmente no Lobito, uma cidade no litoral, com um subúrbio demasiado danificado, quase insuportável! Impossível não sentir um aperto no coração…parece que à medida que o dia passava as imagens eram cada vez piores…embora quisesse manter a minha postura de turista aventureira e fiz um esforço por sorrir com todos os neurónios activos…fui-me abaixo, olhei em frente para a estrada desejando passar rapidamente por aquele cenário, que sinceramente me fazia lembrar imagens de aldeias do médio oriente recentemente bombardeadas…fazia-me lembrar o Afeganistão…aquelas terras sem cor, com pó e pedra, casas quadradas, esburacadas e em ruínas…ao olhar para trás vi distanciar-se de mim esse aglomerado de vidas e forcei-me a olhar para a frente, uma cidade pequena velha, mas com o mínimo dos mínimos de condições. Rapidamente saí do carro e entrei no hotel 3 estrelas Navegantes. Depois de tudo o que vi, estas 3 estrelas são 5 na minha mente. Não poderia pedir mais, estou muito bem. Daqui a duas horas é tempo de jantar e depois irei preparar o trabalho da semana, a avaliação psicotécnica de candidatos dos caminhos de ferro. Vai ser muito interessante.

9 comentários:

RM disse...

Olá cunhadita...
Pelo que escreves até nem foi mau a tua primeira experiência em Angola. Tens de ver pelo lado positivo... se o carro não fosse a 160 Km/h demoravas ainda mais tempo a chegar e o cansaço seria maior... (tou a brincar)
Bom trabalho e força.
Beijinhos
RM

marguinha disse...

São neste momento 24h e 45m e preparava-me para o soninho, pois amanhã,ou melhor daqui a 6 horitas terei que ir trabalhar.
Vim ver se já tinha telefone, pois não sei porque razão emudeceu novamente, e fiquei muito triste por não ter conseguido falar contigo.Enviei uma mensagem, mas continua pendente..
Então entrei no teu blog... e surpresa!!!!
Amanhã vou ler com mais atenção.
Força nesse coraçãozito de manteiga e coragem perante o mundo real, ainda que visto a uma velocidade pouco recomendável..Este tipo de experiências são gratificantes.Acredita que (crescer)também passa por vivenciar este tipo de experiências!
O que interessa mesmo é que vais mostrar a toda essa gente o quanto vales...
Miljinhos e que tudo corra bem.
Cuidado com as saladinhas!

CC disse...

Felizmente chegaste bem apesar dessas tropelias todas. Esse cenário deprimente deve ser vulgaríssimo. Tenta manter a tua força interior sempre em cima. É a realidade cruel e injusta que muita gente vive. Mas tu sentes de forma diferente porque vives do outro lado desse mundo. É natural que esse sentimento constragedor... Força maninha e titia :-)

Anónimo disse...

Olá miuda, força aí ok? Vai ser interessante o teu trabalho e quanto à miséria...enfim... Pudessemos nós mudar o mundo! Beijinhos, elsa

PoPey disse...

Oi Aventureira !! :-) :-)

Pois é, já te tinha dito como é a vida aí !! Mas felizmente só te contei a parte má para te preparar para o pior !! Agora espero que consigas olhar para a Africa "nossa" (se não te importas não é só tua :-) :-)) com uns olhos diferentes do que a tua vivência Europeia te ensinou a olhar !! África é linda e viciante, tem um encanto próprio, as cores, o cheiro o ar que se respira, enfim... adoro África !!
Lembra-te sempre de que, para sentires que a tua missão foi um sucesso, terás de deixar a tua marca nos locais onde passares !! Não passes ao lado, envolve-te com as gentes, ajuda-os no que puderes pois o Angolano é um povo que necessita de tudo e no fim... sentir-te-ás realizada pelo trabalho efectuado !!
Mas claro... também curte o máximo, não te feches no Hotel, pelo menos enquanto não estiveres em Luanda !! Aí a vida do dia-a-dia é bem mais complicada !!
Tal como já aqui ficou dito noutros "posts", eu também sei bem o teu valor e a tua força interior !! Estou certo que tudo isso virá ao de cima e que o teu desenrrascanso não toldará o teu sucesso quer pessoal, quer profissional !!
Curte a vida !! A rectaguarda, por estas bandas, está felizmente garantida !!
Beijos GRANDES !!

Andreia disse...

Oi Rutinha! Adorei ler os teus posts... mal posso esperar pelos próximos capítulos! Melhor que novela da TVI! Bem, sem brincadeiras: nunca estive em África e apenas conheço o que vejo da TV. Imagino que ver ao vivo tenha um impacto 1000 vezes maior.

Realmente às vezes queixamo-nos de tão pouco, neste nosso Portugal pequenino... abençoados somos! Que essa experiência sirva para cresceres como pessoa e profissional e, acima, de tudo, que te faça uma pessoa mais feliz por saberes valorizar o muito que tens!

Beijinhos grandes da colega de profissão e bonjoviana :)

Andreia

Sara Nascimento disse...

Olá rute!=)
Imagino que seja muito difícil ver pessoas a viver tão mal quando nós temos tanto, mas tenta aproveitar ao máximo esta experiência que de certeza te vai fazer ver o mundo de outra maneira!

Um beijinho enorme da tua entiada=P*

Luanis disse...

Uau, escreves muito bem. Adoro a forma como dás vida às palavras. É fácil visualizar tudo o que descreves. Mas não me surpreende, sempre tive noção da pessoa inteligente que és.
Em relação ao resto... depois daquela experiência com o gato na varanda às duas da manhã, conheci a pessoa preocupada e decidida a mudar o mundo que tu és e admiro-te imenso por isso. Não basta apontar o que está errada, há que agir para corrigir. E tu és assim.
Beijo, Nanda

PedrinhoSSM disse...

Viva Rute.
Que experiencias tiveste. Fenomenal como os continentes do nosso planeta são todos diferentes.
Como sabemos Africa é o continente pobre. É muito triste que não se consiga resolver os grandes problemas de Africa que são principalmente os politicos corruptos que ficam com todo o dinheiro e depois mais de 95% (não tenho certeza desta percentagem mas penso que está perto da correcta) da população fica na pobreza.
Falando do teu post e das tuas experiencias. Para já andaste a 160 kilometros? E policia não existe nem radares! Penso que não, muito menos radares, hehe.
Em Sumbe um descanso num restaurante junto à agua. E a media de vida dos Angolanos é só 40! Nunca imaginei, claro que esta estatistica é para quem vive na pobreza claro (imagino).
Lobito, a cidade "bombardeada" lembrando o Afeganistão. Claro que não foi bombardeada, mas pelo que contaste deve te ter feito muita confusão, a mim tambem fazia.
Enfim, pronta para um descanso merecido e para o inicio do trabalho no dia seguinte.
Beijinho do teu sempre amigo.