domingo, 17 de agosto de 2008

16 de Agosto – Viagem Lubango-Lobito>Luanda-Huambo-Lobito – Parte 2

Pois é…às vezes as viagens mais simples tornam-se em desafios inimagináveis…ora passadas 2 horas de espera pelo avião que viria de Luanda para Lubango e que depois prosseguiria para Catumbela e novamente para Luanda, decidi deixar de olhar para as paredes e ver qualquer coisa no TV Plasma de 37 polegadas da sala de embarque, mudei portanto de poiso. Rapidamente comecei a conversar com um Sr. Angolano (Branco) muito simpático, Sr. J.A., administrador de uma empresa com sede em Portugal e com fábricas em Angola, já experiente nestas andanças que me “”acalmou”” ao dizer-me que esperar 2 ou 3 horas é coisa pouca. Há alguns anos atrás…esperavam-se dias…chegavam a esperar semanas pelo avião. Senti-me logo mais descansada J , depois de conversa pr’aqui, conversa pr’acoli, o tempo até que passou mais depressa e rapidamente, depois de 4 horas, entrávamos no avião da TAAG rumo a Catumbela (Lobito). A viagem decorreu sem problemas e cerca de 40 minutos depois, a 1 minuto de aterrar o avião que se fez à pista da Catumbela sobe novamente para nunca mais regressar à pista! Bom…desassossego geral, cerca de metade dos viajantes iam para o Lobito e ficaram super impacientes. Inúmeras pessoas chamavam pelos hospedeiros que nunca mais saíam do cockpit…os segundos demoravam a passar…a pista ficava cada vez mais para trás…”rumávamos para onde? Porque é que o avião não aterrou? Será que teve algum problema com o trem de aterragem, e se não conseguimos aterrar? (Olhei logo para os locais onde estariam as mascaras de oxigénio, bem como os coletes salva-vidas, comecei a fazer planos estúpidos de sobrevivência)”.

Eis se não quando, a voz do Comandante Miguel rompe os meus pensamentos, dizendo algo do género: “Estimados passageiros, lamento informar mas não pudemos aterrar no aeroporto da Catumbela devido a uma avaria nas luzes da pista, assim seremos obrigados a prosseguir viagem para o próximo destino, Luanda, onde serão posteriormente informados sobre novo voo para Catumbela amanhã durante o dia de Domingo. Lamentamos o incómodo, tudo faremos para que esta viagem seja o mais prazerosa possível. Obrigado”

…ok agora sim senti um alívio momentâneo porque afinal estava tudo bem com o avião, mas logo de seguida o pânico invadiu o meu cérebro cinzento quando soou uma campaínha tipo alarme: LUANDA!!! LUANDA!!! CAOS! “Oh que chatice, então agora vou sozinha para a selva? Eu e o aeroporto de Luanda não nos damos muito bem, verdade seja dita, é como atirar presas aos leões, sabemos que até podem sobreviver mas é tudo uma questão de tempo…no aeroporto de Luanda é tudo uma questão de dinheiro…e esse estava na minha bagagem, pouco trouxe comigo, portanto Mayday,” Olhei desesperadamente para o meu novo companheiro de viagem, espelhando um olhar canino desamparado, ao qual obtive uma resposta silenciosa mas ensurdecedora de tão clara que foi “Não se preocupe” gesticulou o Sr. J.A. “Ok Rute não te preocupes, sim claro, mas por via das dúvidas manda sms ao Super J.S (coordenador da minha equipa), ele saberá ajudar-me. Foi naquela altura que pensei que o Sr. J.S estaria à minha espera na Catumbela e certamente viu o avião a levantar, logo…já se pôs a mexer…embora mais tranquila, fui ter com o meu novo protector, stressada claro, tentando saber os planos ao detalhe do resto da nossa viagem.

Depois de mais de 40minutos a sobrevoar Luanda, aguardando que o espaço aéreo abrisse por causa da chegada do avião presidencial, lá aterrámos e aguardámos na pista, junto ao avião por noticias..

A TAAG de Luanda não tinha sido informada de nada e não sabia quem éramos e o que estávamos a querer exigir…NORMAL, expectável…na verdade, na altura só queria saber da minha bagagem, pelo que quando o meu padrinho Sr. J.A me disse que a bagagem seria entregue enfiamo-nos no bus em direcção ao check-out. Claro que fomos de imediato abordados por algumas pessoas que querem ganhar dinheiro, mas lá está…a experiência do meu novo protector irradiou um escudo e só teve de responder a um dos leões, estávamos seguros! Nova etapa…bagagem…coisa simples não? Tapete, bagagens em cima, vai rolando e tal…

Amigos estamos em Africa, ok? Nada é simples…pois então vamos tornar as coisas mais interessantes, saquem a luz! Ah assim está melhor, mais de uma centena de passageiros amontoados junto aos tapetes, com mosquitos esfomeados a sobrevoar o espaço aéreo agora às escuras…bagagens inertes sobre os tapetes! Num qualquer país europeu as pessoas manter-se-ião calmas e sossegadas, aqui não, o pessoal começou a dirigir-se ao tapete para retirar bagagens…no escuro! Portanto a probabilidade de agarrarem a minha mala por engano de repente aumentou. Sorte…que a luz apareceu entretanto e avistei a dita que veio ter comigo alguns segundos depois.

Já tinha entretanto falado com o Super J.S, que me garantiu que teria um condutor à minha espera para me levar para a casa (hospedagem da empresa em Luanda), estava em paz finalmente. O meu novo protector convidou-me para jantar e claro…8 horas depois da última refeição, esse convite foi no mínimo tentador. Lá fomos com o condutor da empresa dele. Entretanto o condutor da minha empresa foi tentar saber do nosso voo do dia seguinte.

Estar em Luanda com pessoas que se movimentam bem é essencial. Primeiro porque há muita insegurança e violência nas ruas e temos de saber que zonas devemos evitar. Segundo porque a cidade é lindíssima mas só conhece esse rosto da cidade quem tem experiência acumulada. Assim sendo, tinha todos os ingredientes para me dar bem e assim foi. O Sr. J.A levou-me a jantar à Ilha do Cabo em Luanda, a um dos locais mais In para passar bons momentos, o restaurante-bar Chill-Out, fabuloso local à beira mar com um ambiente suave colorido de beiges e castanhos, música chillOut, verdadeiramente encantador e um must para qualquer turista. (vejam a opinião de uma bloggista: http://loulououicestmoi.blogspot.com/2008/04/fim-de-semana-prolongado.html )

Entre troca de experiências, curiosidades, uma garoupa e um caril de lagosta, ainda bebemos um champagne Moët & Chandon que marcou com um brinde especial este longo dia de aventura. Afinal esta tour a Luanda até calhou bem, graças à generosidade e know-how deste meu novo protector. Sim porque desde o aeroporto até à Ilha vi edifícios lindíssimos com direito a legendagem, para que não me escapasse nada. Diga-se de passagem, ter o privilégio de ouvir as dicas do Sr. J.A não é para qualquer um, portanto estava no céu, se é que isso é possível em Luanda. Já cansados e consoladitos com a refeição maravilhosa que tivemos, fomos então cada um para a sua residência e marcámos encontro às 4.30h am para novo embarque. Tal aconteceu, não pela TAAG que demorou em organizar um voo, mas sim por outra companhia aérea que nos levou às 6.30h até ao Huambo, prosseguindo posteriormente para o Lobito, uma hora e meia depois.

A aterragem em Catumbela foi a mais bela de toda a minha vida, não foram muitos os voos que fiz até hoje, mas os suficientes para haver termo de comparação. Ainda bem que não o fizemos de noite, porque iria perder a vista mais linda de sempre…imaginem campos e campos verdes com plantas tropicais, bananeiras, palmeiras, e por aí em diante…natureza farta, rica, vasta…parecia que o avião ia aterrar no meio da vegetação. Foi no fim de tudo…uma boa prenda. A prenda maior foi ver o meu querido coordenador à minha espera a sorrir…claro que esbocei um sorriso largo de tanta felicidade e alívio que senti ao vê-lo, estava de volta a esta terra linda que me acolheu tão bem há duas semanas e ia ter com os meus coleguinhas.

A seguir muita coisa boa aconteceu, o meu protector angolano ainda me fez outra surpresa boa…que mais tarde contarei…agora faz-se tarde, é tempo de repor o sono de dois dias, para enfrentar uma dura segunda-feira cheia de candidatos sedentos de me darem muito trabalhinho.

Que experiência esta, hein? Ai Africa, és imprópria para cardíacos ou hipertensos, lá isso não há dúvida. Nunca se pode fazer planos…”day by day, one step at the time”

Beijos…

6 comentários:

PoPey disse...

Foi bom reler a tua história, pois de certa maneira eu participei nela. Mesmo à distância consegui manter um contacto mínimo contigo e com o teu condutor, de quem eu por acaso sou conhecido e até tenho o seu número de telefone !! Ou seja, não estás sozinha !!

Mas claro... todo o cuidado é pouco em depositar tanta confiança em "desconhecidos". Desta vez correu bem e como até tenho o privilégio de conhecer um pouco mais da história que ainda vais escrever, tudo tranquilo !!

Na minha opinião foi um erro pensares que estavas sozinha e que tinhas de te desenrascar, neste caso "colando-te" a um conhecedor da zona. Felizmente aí não estás sozinha e tomara todos terem o apoio que tu tens, estejas onde estiveres em Angola !!

Por isso... cuidadinho !!

Beijos... amanhã há mais !!

RM disse...

Bom dia Cunhadinha,
as tuas descrições são fantasticas, e efectivamente deixam uma impressão na barriga... Mas a tua "estrelinha" tem dado uma mãozinha... e arranjado un protector bacano... Mas cuidado, pois nunca se sabe quem são...
Um beijo grd

CC disse...

Olá maninha,
confesso que estou a comentar sem ter lido os teus ultimos posts. Regressei hoje de férias e não estou com muito tempo para ler. Mas prometo que assim que conseguir leio tudinho. Já sei que está tudo a correr bem (na medida do possivel) e isso é o mais importante. As fotos estão lindas. Beijocas

luisa bat. disse...

a tua vida é uma aventura... e como vejo estas a gostar.... ainda bem!!!as fotos tão um maximo, parece tiradas duma revista.. =D espero k regresses depressa, para eu poder-t fazer uma visita ou vice versa... tenho mts saudades tuas sapinha grand!lol bjinhos

Marguinha disse...

Entre telefonemas e mensagens que terminaram quando chegaste a casa e a caminho do repouso merecido,
essa tua odisseia foi vivida por estes lados com muita ansiedade e inquietação.
Em total concordância com o popey no que respeita à confiança em desconhecidos.
No final,o alívio!! mas uma enorme tareia....crise maternoexistencial.
Ouvir a tua voz e falar contigo através do messenger é para continuar...até chegares a porto seguro, ou seja, Lisboa.
Força e coragem,já não falta tudo e o pior já lá vai.
Miljinhos

PedrinhoSSM disse...

Bolas. Nem sei que dizer. Mais aventuras em aeroportos.
Bem vindo o Sr. que te ajudou com legendagem e tudo pelos melhores sitios.